Energia CC

O que é uma Infra de Sistema de Energia CC ?

Sistemas de Energia CC: O que é uma Infra de Sistema de Energia CC ? Dentre os sistemas

Sistemas de Energia CC: O que é uma Infra de Sistema de Energia CC ?

Dentre os sistemas de facilidades da infraestrutura de um site de Telecomunicações, o Sistema de Energia CC (corrente contínua) tem por finalidade o fornecimento de alimentação nas tensões de -48 ou 24 volts aos equipamentos eletrônicos do site. Energia CC

Ele tem por objetivo alimentar todas as cargas críticas e essenciais à operação e manutenção da estação, garantindo níveis e oscilação de tensão compatíveis com os equipamentos eletrônicos, além de suprir a alimentação durante períodos de falta de energia principal do site, proveniente do sistema de energia CA (corrente alternada).

Veja Também – O que são indutores? Como funciona um indutor

Além da alimentação dos equipamentos específicos para telecomunicações, as seguintes cargas são normalmente alimentadas pelo sistema de energia CC:

  • Sistema de iluminação de emergência;
  • Sistema de combate a incêndio;
  • Sistema de ventilação de emergência dos equipamentos eletrônicos de telecomunicação;
  • Sistema de Controle de Alarmes.

Nas instalações no Brasil existem três tipos mais populares de configurações dos Sistemas de Energia CC: em containers, gabinetes e estações centrais.

Sistemas em Container

Neste tipo de aplicação, em que o ambiente é fechado (indoor), a estrutura é construída em concreto, aço ou alumínio. No Brasil é muito comum a utilização também de construções de alvenaria. Estas estruturas são normalmente equipadas com equipamentos de Ar Condicionado (HVAC – Heating, Ventilating and Ar Conditioning) para o controle climático necessário ao bom funcionamento dos equipamentos eletro-eletrônicos.

Esses sites podem ser de diversos tamanhos, dimensionados em função da finalidade a que se destinam, tais como estações repetidoras ou então ERBs em redes wireless. Usualmente são utilizados uma ou duas fileiras de banco de baterias do tipo selada (VLRA – Valve Regulated Lead Acid), numa configuração paralela para energia standby necessária para as aplicações de telecomunicações. Estes sites utilizam +24Vcc ou -48Vcc como fonte de energia. Para o caso de falta de energia CA da concessionária publica, ou fornecida por um GMG (Grupo Moto Gerador), o banco de baterias é normalmente dimensionado para prover energia ininterrupta por 8 a 12 horas.

Veja Também – Coronavírus: Anatel pressiona operadoras.

Sistemas em Gabinete Outdoor

Este tipo de aplicação é típica para gabinetes remotos de sistemas wireless do tipo outdoor. Nestes casos as dimensões vão desde pequenos gabinetes instalados em postes até gabinetes maiores instalados em topos de prédio ou terrenos urbanos ou rurais; como é o caso de aplicação em telefonia.

O equipamento de energia CC é normalmente integrado com o gabinete, ou então montado num armário ao lado do gabinete. O banco de baterias é normalmente dual, provendo paralelismo para energia standby, com baterias do tipo seladas. Nestas aplicações são comuns também alimentações de +24Vcc ou -48Vcc.

Sistemas em Estações Centrais

Este tipo de aplicação é diferente das duas anteriores apenas na magnitude dos equipamentos dos equipamentos de energia e no número de fileiras de baterias, que são requeridas para suportar a falta de energia por longos períodos de tempo, ou por falha nos equipamentos de energia. Alguns sistemas podem chegar de 10 a 20 fileiras de baterias do tipo seladas (VRLA) ou não seladas (FVLA – Free Vented Lead Acid). Estes sistemas podem ter que suportar diretamente correntes contínuas na ordem de 10.000 A ou mais.

Em sistemas nesta escala, encontram-se grandes barramentos de cobre, equipamentos de energia de alta capacidade, em configurações por gabinetes em paralelo que permitam fornecer potências para toda a estação de telecomunicações. Devido ao esquema complexo de distribuição de energia no site, existem gabinetes de distribuição intermediária, que provêm uma proteção e distribuição secundária, que alimentam os quadros de distribuição onde estão alimentados os equipamentos de consumo final. É comum também os arranjos de distribuição paralela em dois circuitos independentes de energia.

Fonte: https://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialenergia/pagina_1.asp

Leave a Comment