bitola do fio

COMO CALCULAR O TAMANHO DA BITOLA DO FIO(ESPESSURA)

O projeto elétrico permite o cálculo da potência total – bitola do fio.A – Sabendo a posição correta

O projeto elétrico permite o cálculo da potência total – bitola do fio.
A – Sabendo a posição correta das luminárias e das tomadas, já fica determinado qual o equipamento elétrico que ficará naquele local.
Somando-se as potências em watts das lâmpadas, tomadas e os possíveis equipamentos que serão usados, você irá determinar a potência em watts totais do seu sistema elétrico.
É essa potência total que determina qual a rede elétrica que deve funcionar na entrada de seu medidor.
Esse valor em watts varia de região para região.

Cada estado têm regras diferentes para determinar a voltagem da rede:
B – Aqui em Curitiba, por exemplo, a Distribuidora COPEL diz que se a carga em watts for de 7.500 watts (7.5 KW) será instalada rede elétrica de 127 volts monofásica (uma fase e um neutro).

Ultrapassando esse valor até 15.000 watts (15 KW) , a rede elétrica será bifásica em 127 ou 220 volts (duas fases e um neutro ou três fases e um neutro se ultrapassando esse valor até 15.000 watts (15 KW)), dependendo da totalidade da carga em watts.
Cabo elétrico: A bitola conforme tensão em volts e carga total em watts

Portanto, sabendo-se a tensão em volts de entrada, e tendo-se feito o calculo da carga total em watts de sua residência, pode-se determinar com precisão a bitola do condutor que sai do medidor até a caixa de disjuntores interna.
Normalmente o calibre ou bitola mínimo usado é o de 10.0 mm² (conhecido como cabo 10 mm²) tanto para a fase quanto para o neutro.
O cabo elétrico de 6.0 mm² só é usado quando a carga é mínima, e mesmo assim as Distribuidoras não costumam aprovar essa utilização de bitola.
A seguir uma tabela de Capacidade de Condução de Corrente de cabos condutores:
Cabo elétrico de bitola 1,5 mm² suporta corrente de 15,5 ampères sem aquecer.
• Cabo de bitola 2,5 mm² suporta corrente de 21,0 ampères sem aquecer.
• Cabo de bitola 4,0 mm² suporta corrente de 28,0 ampères sem aquecer.
• Cabo de bitola 6,0 mm² suporta corrente de 36,0 ampères sem aquecer.
• Cabo de bitola 10,0 mm² suporta corrente de 50,0 ampères sem aquecer.

Assim tendo a tabela de capacidade de condução de corrente dos principais cabos condutores, sabendo-se a soma da carga em watts do circuito elétrico e tendo-se determinado à tensão em volts de entrada, basta utilizar uma fórmula matemática simples da Lei de OHM/Watt que diz assim:
A corrente em ampères é igual à divisão da potência em watts pela tensão em volts, ou seja:
I = P/U
onde “I” é o símbolo da corrente, “P” é o símbolo da potência e “U” o símbolo da tensão.

Cabo elétrico:  Potência em watts dos circuitos

Devo lembrar que tomadas de uso comum (TUG) para equipamentos de pouca potência em watts (televisão, rádios, liquidificadores etc.) tem o valor específico de 100 watts.

Já as tomadas de uso especial (TUE) tem seu valor em watts de acordo com o equipamento a ser instalado na tomada.
Ex: ponto de tomada de alimentação para chuveiro elétrico mais usado é de 5500 watts (5,5 KW).

O condutor de 1,5 mm²  é utilizado para circuitos e retorno das lâmpadas (aquele fio que sai do interruptor até a lâmpada) e o condutor de 2,5 mm² é o mínimo utilizado para tomadas de uso comum (TUG).

Fora isso deve ser calculado a bitola do fio correta do cabo elétrico de acordo com a potência para as tomadas de uso especial.
Qualquer Eletricista Profissional deve ter conhecimento desses regulamentos para poder oferecer um serviço de qualidade com garantia e segurança para não ocasionar um acidente elétrico mais adiante.

Veja também – O que é frequência elétrica?

Isso também possibilita uma economia substancial se utilizando a bitola do fio correta calculada mediante um projeto fácil e simples sabendo-se os valores especificados acima.
Todas essas normas são regulamentadas pela NBR 5410 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas em conjunto com o INMETRO).

bitola do fio

Você pode usar sim os condutores de maior bitola do fio ou calibre para todos os itens citados pôr você.

O importante é que os circuitos não fiquem sem proteção, ou seja, devem sempre ter um disjuntor termomagnético como proteção a sobre cargas e curto circuitos, e se possível um Interruptor Diferencial (Também conhecido popularmente como disjuntor DR) que se desarma ao haver uma DDP (Diferença de Potencial) atípica, ou seja, se uma pessoa inadvertidamente tocar em um condutor (fio) desencapado e energizado, e levar um choque, o Dispositivo DR desarma, cortando a energia e impedindo que a pessoa seja eletrocutada.

Atualmente em qualquer obra civil de construção de imóveis, é obrigatória a instalação deste dispositivo, de acordo com as normas da ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas.

A norma NBR 5410 da ABNT, também regulariza a utilização dos condutores através de uma tabela já pré-calculada de acordo com a capacidade de condução de corrente de cada condutor, e de acordo com o Equipamento Elétrico que será conectado a eles (condutores).

Tabela para os condutores mais utilizados em circuitos elétricos residenciais

Vamos rever rapidamente uma parte dessa tabela para os condutores mais utilizados em circuitos elétricos residenciais:

LARGURA DO FIO CONDUTORSUPORTA (SEM AQUECER)
1,5 mm²15,5 ampères
2,5 mm²21,0 ampères
4,0 mm²28,0 ampères
6,0 mm²36,0 ampères
10,0 mm²50,0 ampères

Veja Também – Aquecedor pode derreter a fiação da sua casa, cuidado.

É importante saber que o condutor de 1,5 mm², somente é recomendado para a utilização do condutor denominado RETORNO, que é aquele que sai do interruptor e vai para o receptáculo onde será colocada a lâmpada. Essa tabela também proporciona uma substancial economia na compra do material (condutores), pois com esse cálculo, a segurança está relativamente garantida, desde que não seja alterada a utilização das tomadas, como por exemplo, a substituição de um equipamento que foi previsto inicialmente, por outro de maior capacidade (corrente em ampères maior), podendo assim provocar o aquecimento dos condutores. Como você pode observar, existe um limite mínimo em Ampères que cada condutor de acordo com sua bitola do fio ou calibre, pode suportar sem aquecer e provocar um curto circuito no sistema elétrico.

É bom lembrar que a utilização de condutores de bitola ou calibre maior torna mais caro a execução do serviço elétrico, mas pode proporcionar uma melhor segurança desde que os disjuntores eletromagnéticos sejam mantidos em sua corrente de ruptura conforme o cálculo original.

Quando você efetua o calculo da soma da corrente dos circuitos, é automaticamente estabelecida a capacidade de condução de corrente dos condutores de acordo com a tabela da ABNT, e consequentemente a corrente aproximada de ruptura (desarme) dos disjuntores de proteção.

Ao se usar condutores de maior calibre, não podem ser mudados os disjuntores termomagnéticos, que devem ser mantidos na corrente pré-calculada inicial.

Facebook LGN

Fonte: https://www.eletricistaemcuritiba.com.br/

Pin It

Leave a Comment